A companhia aérea emiradense, Emirates Airlines, aposentou hoje seu primeiro Airbus A380, da matrícula A6-EDB.

Apesar de ser uma aeronave verdadeiramente inovadora, o Airbus A380 foi infelizmente deixado de lado. A aeronave foi lançada com muita emoção nos anos 2000. No entanto, em uma época em que a sustentabilidade é essencial, quatro motores simplesmente não podem ser justificados devido à eficiência dos jatos bimotores e também a situação atual não favorece sua continuidade.

O A6-EDB foi a segunda aeronave entregue à companhia aérea e apenas o 13º A380 já construído pela fabricante Francesa. A aeronave fez seu primeiro voo em 2 de abril de 2008. Após uma série de voos de teste, foi entregue à Emirates em 24 de outubro, antes de entrar em serviço em 27 de outubro, exatamente 12 anos atrás. A aeronave foi retirada do uso para o transporte de passageiros no dia 23 de fevereiro, um mês antes de todos os voos da Emirates serem suspensos pelo governo dos Emirados Árabes Unidos por conta do coronavírus. No entanto, devido a uma necessidade futura de manutenção pesada, a partida da aeronave foi planejada independentemente da situação atual.

ÚLTIMO VOO

A aeronave foi pintada de branco em preparação para sua partida eminente em junho, mas agora, o grande dia chegou. De acordo com dados do FlightRadar24, a aeronave decolou de Dubai International Airport às 15h55min com o número de vôo EK2689. No momento em que este artigo foi escrito, a aeronave estava cruzando a França a 40.000 pés, faltando cerca de 480 km para percorrer. Atualmente, estima-se que pousará em Tarbes (LDE) por volta das 19:50. O último voo de passageiros da aeronave foi de Muscat para Dubai em 23 de fevereiro.

A Emirates não é a única companhia aérea que começou a aposentar o gigante dos céus. A Singapore Airlines foi a primeira companhia aérea a fazê-lo muito antes da situação atual, com quatro aeronaves. Um deles vive como o gigante de carga da HiFly. A Air France foi outra companhia aérea a aposentar as aeronaves, ela aposentou seu primeiro A380 no final de 2019. Porém, devido à situação, acelerou a aposentadoria do restante de sua frota. Em seguida, a Lufthansa retirou a metade da frota de A380, e provavelmente o restante não voltarão aos céus.

Fonte: Simple Flying