No dia 24 de Março de 2015 um Airbus A320 da GermanyWings descolou do aeroporto de Barcelona-El Prat com destino a Dusseldorf na Alemanha com 144 passageiros e 6 Tripulantes, mas acabou por se despenhar 41 min depois da descolagem no alpes Franceses, tirando a vida de todas as pessoas a bordo.

A tripulação tinha descolado de dusseldorf às 6h01m com destino a Barcelona onde aterrou às 7h57m, o desembraque foi executado seguido do embarque dos 144 passageiros que faziam o voo de retorno para dusseldorf. Com o embarque completo, a aeronave taxiou até a cabeceira da pista 07R do aeroporto de Barcelo-El prat onde às 9h00m descolou com destino à alemanha sobre os camandos do co-piloto Andreas Lubitz. Após a descolagem às 9h02 o piloto automatico e o “Autothrust” foram ligados. Durante a subida uma comissária de bordo entrou no cockpit onde os 3 tripulantes conversaram sobre a paragem em Barcelona, às 9h15m a comissária abandona o cockpit. E às 9h27m a aeronave parou a subida e manteve o nivel de voo de 38.000ft. A ultima comunicação feita entre a aeronave e o ATC foi feita às 9h30m com o comandante a ler de volta a permissão do ATC para os mesmos voarem em direção ao waypoint IRMAR: “Direct IRMAR Merci Germanywings one eight Golf”, depois da comunicação o comandante avisa o co-piloto que estaria deixando o cockpit e pediu ao mesmo que assumi-se as comunicações radio durante a sua ausencia, ao qual o co-piloto concordou, logo após isso pôde-se ouvir o movimento de um assento, e 15 segundos depois o comandate abandona o cockpit. O co-piloto sozinho dentro do cockpit altera a altitude da aeronave de 38.000ft para apenas 100ft e desativou o Autothrust da aeronave, e no mesmo momento o A320 começa a perder altitude e potencia de ambos os motores começa a diminuir. Às 9h33m Andreas Lubitz aumenta a velocidade da aeronave de 273kt para 308kt, a velocidade de descida variou entre o 1.700ft/min e os 5.000ft/min sendo a média de 3.500ft/min. Às 9h33m quando a aeronave encontrava-se a a 30.000ft o controlador de trafego aéreo perguntou à tripulação a que nivel de voo eles estavam autorizados a voar, mas sem qualquer resposta. Às 9:34 o comandante pediu o acesso ao cockpit da aeronave, nesse momento a aeronave ja se encontrava a 25.100ft, sem nenhuma resposta vinda do interior do cockpit, o pedido de acesso ao cockpit foi feito em outras 4 ocasiões, pôde-se ouvir também alguem a bater à porta e a pedir ao co-piloto para abrir a porta em 6 ocasiões diferentes. Às 9h39 o comandate que ainda tentava entrar no cockpit da aeronave começou a bater voilentamente contra a porta mas sem nenhuma repsosta. Às 9h40 pequenos movimentos suaves foram registados vindos do sidestick do co-pilot, indicando que Andreas Lubitz estava nos controlos da aeronave até aos momentos finais do voo. O aviso de risco de colisão foi ativado às 9h40 e às 9h41 a gravação da caixa negra termina no momento da colisão com o solo nos alpes Franceses.

O relatório final do acidente datado de Março de 2016 conclui-o que: “A colisão com o solo ocorreu de forma deliberada e planeada pelo co-piloto que decidiu cometer suicídio enquanto estava sozinho no cockpit”. O medo de perder a licença e o design das portas para prevenir a intrusão de uma pessoa não autorizada no cockpit, foram outros fatores que levaram ao trágico acidente que tirou a vida de 150 pessoas.

O trágico incidente do voo Germanywings 9525 revelou a terrível escolha de um indivíduo desesperado, que, ao controlar a aeronave, decidiu tirar sua própria vida, resultando na perda de todas as vidas a bordo. Esse evento angustiante ressalta a complexidade do papel do piloto, que vai muito além da habilidade de voar um avião, envolvendo a carga emocional e a responsabilidade pelas vidas confiadas a eles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 − 2 =